thank you 2020, hello 2021

Obrigado 2020, Olá 2021!

thank you 2020, hello 2021

O ano passado foi, sem dúvida, um ano desafiante para todos nós – no entanto, cada desafio apresenta-nos uma nova oportunidade.

Este ano mostrou-nos como podemos ser resilientes, adaptáveis e criativos em tempos de adversidade. Um agradecimento especial aos nossos colegas, parceiros e clientes – não poderíamos ter sido bem sucedidos se não fosse a vossa agilidade, flexibilidade e trabalho colaborativo para manter a continuidade do negócio.

Ganhámos uma riqueza de conhecimentos sobre nós próprios e os outros e, mais importante ainda, como ser mais humano pode fazer toda a diferença, não só a nível profissional, mas como, mesmo em tempos infortúnios, conseguimos ajudar quem mais precisava – tudo graças a vocês!

Tendo isso em mente, nunca estivemos tão determinados a entrar no novo ano com paixão e visão positiva.

Que o vosso 2021 comece em grande cheio de saúde, alegria, e sucesso!


Webhelp abre dois novos escritórios em Portugal e cria 500 novos postos de trabalho

Multinacional francesa emprega atualmente 2.000 pessoas e já investiu mais de 8 milhões de euros desde que se instalou em Portugal em 2015. Em 2021 a empresa passa a contar com quatro escritórios em solo nacional.

Lisboa, 14 dezembro 2020 – O Grupo Webhelp acaba de anunciar a abertura de dois novos escritórios em Portugal, nomeadamente nas cidades de Lisboa e Braga, e que vão resultam na criação líquida de 500 novos postos de trabalho, cerca de 300 para o novo espaço de Braga e os restantes 200 para Lisboa.

Com a abertura destas duas novas localizações a Webhelp Portugal passa a contabilizar um total de quatro escritórios, distribuídos pelas cidades de Lisboa, Braga e Oeiras, empregando atualmente um total de 2.000 colaboradores, um número que se prevê que ultrapasse os 3.000 no território nacional nos próximos três anos.

Para Carlos Moreira, CEO da Webhelp Portugal, a criação destes dois novos escritórios é sinónimo da confiança que o Grupo francês tem no mercado português: “Portugal é um dos melhores destinos a nível mundial para instalar hubs multilíngues. A qualidade dos nossos recursos humanos e processos de trabalho, aliados a uma excelente infraestrutura tecnológica, permite-nos atrair cada vez mais clientes”, explica o responsável da empresa em Portugal.

Desde que se instalou em Portugal no ano de 2015, a Webhelp já investiu mais de 8 milhões de euros em infraestruturas no país, sobretudo através das localizações de Lisboa e Braga.

Em Lisboa, a multinacional visa expandir as suas operações, assim como melhorar a qualidade do espaço de trabalho para os seus colaboradores, saindo do seu atual escritório para o edifício AGEAS, onde irá ocupar a totalidade dos 6.700m2 de superfície dedicada e mantendo-se, desta forma, no Parque das Nações.

No caso concreto da Webhelp em Braga, a cidade continua a representar uma forte aposta para a empresa onde atualmente tem mais de 500 colaboradores e foi considerada um dos melhores locais para trabalhar em Portugal pela Great Place To Work nos últimos dois anos. Para além disso, é um dos escritórios oficiais do The Nest, criado propositadamente pelo Grupo Webhelp para dar apoio às Startups.

Apesar de um ano tão atípico como tem sido este de 2020, fomos capazes de ter um grande crescimento de atividade e estamos muito confiantes para o próximo ano. Este investimento que fazemos vem reforçar isso mesmo. Portugal é um mercado muito importante no universo da Webhelp, líder europeu deste sector, e pretendemos continuar a reforçar a nossa presença”, afirma Carlos Moreira.

Para Vincent Bernard, Group Managing Director Operations, CEO Southern Europe & Middle East Africa: “A abertura destes novos sites em Lisboa e Braga mostra o crescimento forte e sustentado da Webhelp em Portugal. Isso deve-se à excelente capacidade de recrutamento, com pessoas talentosas, de formação sólida e boa experiência profissional. O desenvolvimento destes hubs multilingues permite ao nosso Grupo aumentar a sua capacidade de produção em Portugal para responder às necessidades dos nossos clientes internacionais. É um ótimo símbolo da escolha bem-sucedida de Portugal e a tradução operacional perfeita do apoio que sempre temos recebido por parte das diferentes autoridades e instituições Portuguesas para ajudar ao nosso desenvolvimento.”

Com 40 projetos/clientes de diferentes setor de atividade, desde a aviação, turismo e lazer, bens de consumo, setor automóvel e financeiro, entre outros, a Webhelp Portugal teve um volume de receitas de 40 milhões de euros em 2019. Com colaboradores de 53 nacionalidades diferentes, a Webhelp Portugal é uma empresa multicultural onde se falam 12 línguas.


Frost & Sullivan reconhece Webhelp como um dos principais líderes em inovação e crescimento no seu 2020 Frost Radar™

A global e reputada empresa de investigação e consultoria Frost & Sullivan atribuiu à Webhelp um lugar de topo no seu 2020 Frost Radar™– CX Outsourcing.

A Webhelp está posicionada como líder tanto no crescimento como em inovação, recebendo o reconhecimento pela sua vasta gama de soluções verticais e, acima de tudo, pelos seus serviços de transformação digital eficazes e soluções tecnológicas que estimulam a inovação dos clientes, juntamente com o seu negócio de consultoria, a Gobeyond Partners.

Deepali Sathe, Analista Sénior da Indústria – Tecnologias de Informação e Comunicação da Frost & Sullivan afirmou:

“Com o seu foco na IA, análise de voz e previsão da mesma e o uso de tecnologias avançadas para impermeabilizar o futuro das suas soluções, a Webhelp é capaz de competir eficazmente, mantendo um ecossistema aberto de parceiros com uma mistura diversificada de parceiros progressistas para estimular ainda mais a inovação”.

O programa CX dedicado à start-up da Webhelp, o Nest by Webhelp, e o forte foco do grupo na capacitação da tecnologia contribuem fortemente para impulsionar a inovação para todas as fases do desenvolvimento de um cliente.

O rápido crescimento do grupo, reconhecido concorrente à liderança no Radar, impulsionando a Webhelp para a posição de líder de mercado da CX Outsourcing Services europeia, e uma posição global proeminente, tem sido estimulado pelo crescimento orgânico e aquisições estratégicas. Atualmente, o portfólio de serviços da Webhelp abrange não só os serviços de Experiência do Cliente, mas uma vasta gama de capacidades adicionais, tais como RegTech, digitalização, IA e consultoria. A sua notável cultura empreendedora tem estado no centro do sucesso e visão do grupo para tornar os negócios mais humanos, através dos meios certos para os seus clientes.

Olivier Duha, cofundador e CEO da Webhelp disse:

“Como uma empresa orientada para o propósito, estamos entusiasmados por receber a honra desta posição de liderança no 2020 Frost Radar™. As nossas equipas de pessoas apaixonadas estão constantemente à procura de formas de fazer as coisas melhor, para os nossos parceiros, os seus clientes e a nossa empresa. Mudar as regras do jogo é uma parte central do nosso ADN, como reconhecido pelo nosso forte desempenho no índice de inovação. Ao garantir que as melhores tecnologias e inovações permitem que as nossas pessoas façam a diferença, estamos constantemente a avançar na nossa busca de criar experiências humanas incríveis.”

O Radar baseia-se nas propostas de valor centrais do Crescimento, Inovação e Liderança. A análise robusta audita mais de 1000 fornecedores em 10 critérios-chave, tais como escalabilidade de inovação, alinhamento de clientes, visão e estratégia. Cada empresa é então avaliada em eficácia através destes temas para determinar o quão bem estão posicionadas para impulsionar o crescimento no futuro.


Rising to travellers’ expectations for the future of travel

What was once a favourite pastime is now looking very different due to this year’s events of COVID-19. Traveller behaviour has rapidly changed, with many opting to not take a trip at all this year. It has changed our ways of thinking towards travel, leading to historic transformation in organisations and society.

In 2019, the number of passengers boarded by the global airline industry reached over 4.5 billion people. At the beginning of 2020, this all changed. Travel unsurprisingly came to a halt due to coronavirus. The total number of flights began to decline by over 60%, according to Flightradar24 racking statistics. This was due to the nature of the virus, forcing governments to ground planes and stop all unnecessary travel.

Government guidelines progressively relaxed in June, allowing travel and leisure activities to resume and get back to some form of ‘normality’ to revive the economy. However, according to IATA, there wasn’t a significant improvement in passenger demand due to the lockdown and quarantine in some markets  with August’s traffic performance the industry’s worst-ever summer season: August international passenger demand plummeted 88.3% compared to August 2019.”

Rising to traveller’s expectations

Getting on a plane and travelling the world is not top of everyone’s bucket list at this moment in time. People are not travelling like they did before the pandemic. The uncertainty of ‘wave two’ is causing many people to become frustrated and emotionally unsettled for the future. And with markets imposing quarantine rules, it has impacted travellers wanting to go abroad altogether.

Travel is recognised as a sense of escapism – now fraught with concerns that were not always top of mind before: cleaning procedures, hygiene, or what places to visit.
Webhelp’s Travel & Mobility Sector Lead, Nora Boros states from our previous article “No matter what kind of trip is being taken, travel clients go through a myriad of emotions before, during, and after their journey – which will undoubtedly affect their consumer behaviour.”
The first wave of COVID-19 amplified these emotions; undoubtedly affecting consumers behaviours and expectations towards travelling and the industry overall.
Nonetheless, it enables organisations to augment and find alternative ways of transforming their servicing and offer travellers new ways of attaining the pleasure of wanderlust.

Health and safety are at the forefront of travelling now more than ever. Passengers are more inquisitive about hygiene policies and what exactly the process looks like before, during, and after flying – the same goes for domestic travel.

It’s not surprising many people have opted to not travel, go on a staycation, or save their plans for a trip in 2021. A Euronews poll surveyed four European countries – Germany, France, Italy, and Spain to identify travel plans which showed a comparison pre-COVID and now. Respondents from all countries had over a 60% decrease in travelling abroad, an average 50% increase in no travelling while domestic travelling stayed consistent between 24%-40%. A Statista survey showed “one third of respondents in the United Kingdom planned to spend their annual leave on holidays in the UK if travel abroad was still difficult due to lockdown restrictions. Over a quarter of respondents expected to spend more time at home.”

Travel influencing new ways of working

Although spending more time at home allows people to have time with their families and make more time for themselves, many people have had to shift to work from home trying to find and maintain a work-life-balance.

These changes have affected people’s behaviours concerning their place of work, inspiring people to seek alternative travel possibilities such as work from home, but anywhere.

“As we continue to adapt to the new ways of working, our work lives become more flexible”, Nora Boros states in our future of travel blog, “leisure travel will become blended with business needs, giving more consideration than ever to the concept of ‘Bleisure’.”

Introducing hybrid models of flexible working allows colleagues to work from home, the office or anywhere in the world. This could open-up longer trips for travellers who want to stay somewhere with office space, or result in an increase of international mobility for organisations to implement.

Webhelp has used the flexible working approach, Webhelp Anywhere with several clients to ensure the safety of colleagues while positively achieving business continuity. We have supported clients with their digital transformation strategy by identifying quick-wins and sustainable long-term objectives to phase through the crisis and transition into the new normal.

As we continue to phase through these uncertain times, it is an opportunity to invest in digital and operational transformation capabilities and become a differentiator in the market, as this will play a key role in helping travellers feel safe in their future travels.


Interested to learn more about these changes and travellers’ expectations for the future?

Sign up to our webinar where we will discuss how businesses can rethink their customer experience strategy and operational/digital transformation.

Sign-up for our webinar

Webhelp nomeado Líder CXM pelo Grupo Everest pela segunda vez em 2020

Na sequência do nosso posicionamento como Líder Global na Gestão da Experiência do Cliente (CXM) pelo analista líder, Everest Group, fomos agora novamente reconhecidos como Líder no seu CXM em Serviços EMEA Avaliação PEAK Matrix® 2020, com uma classificação elevada em termos de visão e capacidade.

Este relatório é um reconhecimento objetivo da estratégia de crescimento bem-sucedida da Webhelp, da nossa abordagem única do início ao fim e do empenho em colocar as pessoas primeiro, com Skand Bhargava, Vice-Presidente do Everest Group a dizer:

“A Webhelp é um fornecedor líder mundial de CXM, especialmente na Europa, apoiada por uma grande mão-de-obra multilingue de mais de 60.000 agentes. Com um foco na transformação digital, consultoria CX, e orquestração de viagens de clientes, Webhelp tem sido capaz de impulsionar um crescimento exponencial nos últimos anos,”

Ele continua “Além disso, os seus profundos conhecimentos digitais e de domínio, a sua abordagem centrada nos resultados e a sua forte liderança permitiram-lhe navegar de forma resiliente nas incertezas criadas pela COVID-19 e continuar na sua jornada de crescimento”.

Este resultado baseia-se no nosso forte historial em rankings e avaliações de analistas, e no nosso segundo ano como Líder na Matriz PEAK, com o Everest Group a destacar especificamente a nossa forte cobertura nas principais verticais da indústria, a nossa pegada geográfica de entrega, e o valor entregue aos nossos clientes.

O Grupo Everest define líderes como empresas que prestam serviços consistentes de Gestão da Experiência do Cliente (CXM) através da expansão em novas regiões, servindo vários tamanhos de compradores, e fornecendo pontuações elevadas de satisfação devido a maiores capacidades tecnológicas e digitais. Para esta edição EMEA, o Grupo Everest selecionou 21 organizações para avaliar e comparar para o seu relatório de 2020 com base no sucesso de mercado, visão e estratégia do fornecedor de serviços, foco e capacidades de serviço, soluções digitais e tecnológicas, investimentos de domínio, e feedback do comprador.


OneShot Influence

Influence – A nova edição da OneShot

A 5ª edição da nossa OneShot está aqui! Esperamos que goste de ler sobre este tema tão abrangente, e tão profundamente enraizado na nossa vida quotidiana.
O que é que aprendeu com a crise? Muitos atestam a ironia do distanciamento social reforçando os laços e comunicação entre colegas. No centro desta nova dinâmica, as relações digitais intensificaram-se, e a tecnologia digital desempenhou um papel muito significativo.

A crise sanitária e económica está a obrigar-nos a concentrarmo-nos no futuro imediato. No entanto, as marcas não devem perder de vista outras mudanças na sociedade. Old Power – nenhum negócio sobreviverá se for puramente baseado em velhos valores de poder: governação formal e centralizada, uma mentalidade conservadora, o elitismo dos especialistas. As pessoas já não confiam na autoridade, o fundamento do old power. Elas querem agir, participar e aprender. New Power– exige que as marcas se concentrem mais nas hierarquias planas e na transparência total.

Sabia que logo atrás do WhatsApp, o TikTok é a segunda aplicação não-gaming mais descarregada do mundo? E quando comparada com a Instagram, a taxa de participação é muito mais elevada? Com milhões de assinantes e uma vasta base de fãs, deve definitivamente verificar se o seu público alvo está no TikTok.

Leia tudo sobre estes temas entusiasmantes, instigantes e muito mais, na última edição da nossa OneShot.

Leia a nossa OneShot

O seu Guia para construir uma estratégia mais eficiente com orientação para o paciente, a uma escala global

Num contexto alimentado pela disrupção digital e pela aceleração global, as empresas de saúde devem conceber um novo quadro para melhor proporcionar uma assistência constistente em todos os momentos e em todas as fronteiras
Através deste white paper, a Webhelp Medica revela as suas boas práticas e aprendizagens com base em mais de 20 anos de experiência.
Misturando feedbacks, testemunhos e análises regulamentares, aqui estão as chaves para uma estratégia vencedora.

Leia o White paper aqui

Recommerce

Recommerce on the surge: Why second-hand stores are booming

Why is recommerce on the rise? and why are marketplaces such as VINTED, thredUP or Poshmark thriving in this business model? Is it just trendy, cost effective, sustainable or a mix of all these that explains the current surge? Tomorrow’s personalization and customer journeys are expected to be even smarter, more immersive, more trust-enabling than they are today. The question is: Are brands and consumers ready? Here is an analysis from Olivier Carrot, Global Business Unit Direct, Retail & E-commerce.

Olivier Carrot - Recommerce

So which are some of the factors that have contributed to this increase?

  • Rise in the use of mobile devices. The accessibility of mobile devices globally has essentially contributed to the growth of e-commerce thanks to the increased reach which has consequently increased the sales. According to Aaron Orendorff – Forbes Top 10 B2B Content Marketer, e-commerce has helped businesses launch beyond borders reaching out to millions of new potential customers. By 2023, an increase of 276.9% in the total global sales in retail is projected with APAC taking the lead (source: shopify.com).
    The easy accessibility of mobile phones and internet has definitely elevated the demand of recommerce as a service. This surge has seen many start- ups joining the bandwagon to not only meet the growing demand but also to take advantage of the efficiency and scalability that marketplaces provide.
    Through the creation of an application that links second-hand products to customers, VINTED has grown from being owned by its two co-founders Milda and Justas to an organization that employs more than 450 people and unites a community of 25 million people.
  • Personalized customer experiences. In reference to platforms like VINTED, personalized services that match customers preferences are highly sought after. Customers want to feel valued and there is no better way than to offer a personalized experience. Even though many consumers are in search of products being offered at discounted or affordable prices, they will not compromise on the experience. Brands are thus competing not only on price but also on offering the most memorable experience to their customers.
  • Old is new again. Founded in 2009 as a swapping company for men’s shirts’ thredUP is a huge consumer marketplace that flaunts over 35,000 brands. In one of his keynotes, CEO and co-founder James Reinhart forecasts sales of upto $51 billion from the second-hand apparel market by 2023 (source yahoo.com)
    In reality, people buy twice as many clothes and wear them half as long. If one can buy a branded item for half the price of the new, why not? There is a growing trend to transform consumption through reuse. And so as to keep up with the changing environment in the retail industry, integrating a resale option in traditional retail outlets is seen to boost the overall sales. Customers are sparked to spend 21% more and visit 70% more frequently. James attributes the massive increase in the visiting percentage to the fact that second hand collection is restocked every two weeks whereas in the traditional format, new collection arrives between four to six times a year (source: www.thredup.com)
  • Cost friendly. Pocket friendly purchases is a big driver in the recommerce boom. Customers are increasingly seeing the value in buying recycled brand-name products for huge discounts. “Recommerce has seen a tremendous upsurge” says Steven Bethell, founder of Bank & Vogue – a firm that specializes in the logistics of selling used goods and operates a sister company called Beyond Retro. Prior to making a purchase, many shoppers aquent themselves with the resale possibilities of items they wish to buy with the plan to resell them in the near future. The retail industry is seeing a continued shift with the majority of consumers shopping smarter.
  • Sustainability. The new affluent generations like the Gen Z are more environmental and social conscious and as such, they expect brands to be more ethical and sustainable in their production processes. Fashion brands that have this audience as their customer base, are obliged to revamp their business models to be able to not only attract but most definitely also retain this segment.
    VINTED is one such brand. By investing on its brand ethos which is providing a platform for purchasing and selling of second-hand clothes. These clothes reduce the environmental impact of Co2 levels that are usually released in the production of new clothes (think water, chemicals, fertilizers and pesticides). In addition, it prolongs the shelf life of clothes that would otherwise head to the dumping sites in one or two years. It’s estimated that 600 kilograms of used clothes would lead to a reduction of 2250 kilograms of Co2 emissions, 3.6 billion liters of water saved, and 144 trees planted. (www.smartgreenpost.com).

At Webhelp, our clients are at the heart and our core objective is to ensure that their customers experience world class service in every touchpoint. The creation and upholding of a sustainable environment also go hand in hand with what our company stands for.

In our endeavor to always provide seamless interactions, we go the extra mile to guarantee that customers’ needs are met. We focus on making the purchase process in the marketplaces as simple and fulfilling as possible 

Our flawless and memorable customer journey from order management to returns and replacements is swiftly executed with our dedicated service specialist who are located globally in the different hubs. 

And thanks to the booming second-hand industry, content management and moderation is also on high demand. Ever thought of outsourcing your content moderation? Our highly experienced offshore content moderators ensure that our clients’ brands are duly protected across their target audience. We support our clients’ to not only maintain their brand integrity, but also to shield their customers from inappropriate, aggressive or illegal content.  

Are you looking for an experienced partner who will help you take your marketplace to the next level? Get in touch to receive your tailormade solution: Olivier Carrot.


Whitepaper: Re-imaginando o serviço para um novo mundo

Whitepaper 14 de Julho de 2020

Um enquadramento para o futuro sucesso dos modelos operacionais focados no cliente

À medida que as necessidades de mudança e transformação se intensificam com o panorama de pós-COVID, são algumas as questões-chaves que irão ser levantadas futuramente: Como será o funcionamento dos serviços no futuro? Como é que as empresas e as suas operações se irão adaptar? E como poderão os empregadores envolver-se e apoiar os seus colegas a cumprir as expectativas dos novos clientes?

Este novo Whitepaper, reimagining service for the new world, pretende abordar estas questões cruciais e descobrir mais sobre como optimizar os modelos de apoio ao cliente neste novo mundo.

Esta é uma publicação feita em conjunto com a Gobeyond Partners, pertencente ao grupo da Webhelp, que é sustentada pela nossa perspetiva única, do ponto de vista industrial, e também pelas novas pesquisas feitas com a finalidade de descobrir os melhores modelos operacionais do futuro.

Clique aqui para ter um acesso rápido ao dowload: Reimagining service for the new world

E junte-se à nossa mailing list para receber notificações de futuros eventos e webinars.


Ser uma empresa "people-first" durante uma pandemia

A pandemia de coronavírus teve um impacto profundo na forma como todos nós vivemos e trabalhamos, forçando as organizações a ajustarem-se rapidamente a uma nova realidade. Como uma empresa que se orgulha de colocar as pessoas no centro, a nossa prioridade número um será sempre manter as nossas pessoas em segurança. Esta abordagem, juntamente com a nossa rápida mobilização de modelos de teletrabalho para os nossos clientes, revelou a nossa agilidade e adaptabilidade, permitindo-nos continuar a crescer e alcançar os nossos objectivos entre os desafios deste ano, dos quais estamos incrivelmente orgulhosos.

Proteger as nossas pessoas

A Webhelp está empenhada em tornar os Negócios mais humanos, e as nossas pessoas são fundamentais para o conseguir.
Em Fevereiro, entrámos no período da COVID com uma equipa incrível de quase 56.000 Webhelpianos, sempre dispostos a fazer a diferença na vida dos nossos clientes, bem como nas suas comunidades locais. Rapidamente fizémos a adaptação de mais de 70% das nossas equipas ao trabalho remoto, com todo o equipamento e protocolos relevantes para garantir um trabalho seguro e regulamentado. Com o incrível trabalho das nossas equipas, num curto espaço de tempo, estabelecemos novos recursos digitais para os líderes das equipas apoiarem as operações de teletrabalho através de novos modelos de comunicação, para apoiar os nossos novos e os já existentes Webhelpianos na mudança de práticas e procedimentos em novos ambientes de trabalho.
Entre Abril e Junho, entregámos mais de 650.000 máscaras aos nossos colegas. Onde os sites estão a ser progressiva e cautelosamente reabertos, continuamos a apoiar os nossos colegas através da entrega de máscaras e milhares de litros de desinfetante de mãos e extensas rotinas de limpeza extra.

Apoiar os nossos clientes

Temos continuado a trabalhar como parceiros de confiança para os nossos clientes, ajustando as suas práticas de trabalho e modelos de serviço para satisfazer os novos requisitos. Como temos a experiência de trabalho em casa com os nossos agentes experientes no INVIRES, estivemos aptos a rapidamente adoptar e manter um nível de serviço de qualidade para os nossos clientes, e apoiar novos clientes onde as infra-estruturas e a preparação local não estavam disponíveis.
A introdução de novas soluções tecnológicas tem sido imprescindível para fornecer soluções de teletrabalho com sucesso, especialmente para clientes em ambientes altamente regulamentados. Construímos e concebemos um serviço de pagamento totalmente compatível com o PCI, que permite um cartão completo e ocultação de pagamentos dentro dos espaços de teletrabalho, correspondendo aos protocolos que temos para trabalhar presencialmente. Através da introdução de oportunidades de IVR com clientes de retalho, pudemos também apoiar ainda mais a sua conformidade e a protecção de dados.
Modelos híbridos de trabalho flexível permitem aos colegas rodar turnos, trabalhando a partir de casa ou das nossas instalações, para gerir o acesso a dados sensíveis sempre que necessário.

Proporcionar crescimento

A nossa resistência foi preservada no meio de tanto caos. Continuámos a prestar um serviço exemplar aos nossos clientes e aos seus clientes, e a adquirir novos clientes ao longo do processo.
Entretanto, acolhemos mais 6.000 pessoas na família Webhelp, algumas das quais nunca estiveram num dos nossos escritórios, utilizando apenas o recrutamento, onboarding, e formação à distância. Na nossa região da Ásia-Pacífico, aumentámos o total de efectivos em 45% desde 1 de Janeiro de 2020, e continuamos a expandir as nossas operações em diferentes locais dentro desta região.

Não estamos limitados a um único local, pois consideramos que o nosso serviço é geograficamente agnóstico. Movendo-nos de forma rápida e flexível, temos sido capazes de estabelecer centros de atendimento totalmente virtuais que prestam um serviço que é consistentemente melhor do que os seus semelhantes na resolução ao primeiro contacto, na pontuação do promotor de rede de pontos de contacto e no envolvimento dos funcionários.
Isto resultará em diferentes formas de trabalhar, à medida que o foco se desloca para a introdução de modelos híbridos, desenhando o melhor de ambos os mundos através de centros locais que actuam como centros de excelência para fornecer partilha de conhecimentos, coaching e formação para apoiar os trabalhadores domésticos.
A crise obrigou as organizações a adaptarem-se e a repensarem a forma como prestam os seus serviços, e os nossos clientes, antigos e novos, continuam a confiar em nós para operarmos com segurança, rapidez e resiliência.